Oficina de artesanato acontece no Chuquê-Jeremoabo-Ba

blog-image


Aconteceu entre os dias 01 e 05 de agosto uma oficina de artesanato ministrado pelos "mestres" artesãos Zé Valdo e Zé de Rita da Associação de Artesanato de Santa Brigída -AASB, que foi desenvolvido para a comunidade do Chuquê, Jeremoabo - uma comunidade de assentados localizada a 40 Km da sede do município às margens do rio Vaza Barris.
A AASB, na comunidade de Morada Velha, foi a pioneira na região com este tipo de artesanato, e conta atualmente com um mercado comprador em expansão. Considerando que as peças utilizam folhas do licurizeiro e madeira de umburana caída, não é possível atender a demanda de grandes empresas sem comprometer a sustentabilidade da matéria-prima, bem como a capacidade produtiva da associação. 
Dessa forma, visando atender ao aumento da demanda, estão sendo preparadas outras comunidades, trabalhando de forma unificada e com a padronização das peças,  para compor um polo de artesanato da palha do licurí e madeira, com comunidades inseridas na região de ocorrência da arara-azul-de-lear.
Em uma próxima etapa ocorrerá uma nova oficina para aperfeiçoamento e desenvolvimento de novas técnicas, tais como o tingimento natural das fibras e confecção de peças mais complexas.
Esse modelo de capacitação vem sendo realizado com sucesso na comunidade de Serra Branca (Euclides da Cunha) pelo CEMAVE, em parceria com a Fundação Loro Parque, Sebrae-Ba e Movimento João de Barro desde 2008 e, como resultado, a comunidade já está produzindo peças de excelente qualidade que comercializam em feiras e eventos da região e até em outros estados.
O SEBRAE comprometeu-se a ministrar novas capacitações voltadas à estruturação e desenvolvimento da comunidade, visando incluí-la no polo do artesanato de palha de licuri, afinada com as comunidades de Serra Branca e Morada Velha. A ATES, em seu trabalho de desenvolvimento do assentamento irá acompanhar a comunidade, apoiando no que for possível e necessário, assim como o CEMAVE e a Prefeitura Municipal de Jeremoabo. Visando buscar a geração de fontes alternativas de renda, que promovam o desenvolvimento econômico das populações residentes nas regiões de ocorrência da arara-azul-de-Lear, esperamos também proporcionar dignidade e aumentar a auto estima destas comunidades.